SOFÁ DE S2 LUGARES

 In Escrita, Literatura, Mulher, relacionamento, Sem categoria

Hoje eu comprei um sofá novo. Não comprei mais um móvel, que faz par com os quadros, o rack e a tevê, não, mas meu aconchego. Companhia das noites frias, em casa, vendo um filme. Inseparável quando eu estiver lendo um livro, ou vivendo um romance.

Não um sofá como outro qualquer. Quando o vi, entendi que esse era diferente de todos que eu tive até então. Retrátil e reclinável em diversas posições, eu não sabia, ele era tudo que eu desejava, me deixando de pernas pro ar. Um bom motivo que me faz voltar pra casa todos os dias. Satisfeita que só.

Acho que encontrei meu sofá perfeito. O problema é que ele não é só meu. Uma hora é meu filho que quer estar com ele, até mesmo as visitas querem tirar uma casquinha, e o meu gato, pra me irritar, ameaça afiar suas unhas no corpo dele, escuro, cheiroso e macio, o meu sofá. Não foi fácil encontrá-lo, deve ser essa a razão de tanta inveja.

Foram noites e noites buscando online, fora os diversos lugares que visitei. Conversas mil com variados vendedores. Experimentei muitos, admito, mais até do que gostaria, só que é com os errados que se descobre o certo. Não é? Hoje é ele que me abraça com seus braços fortes de Suede e me dá colo. Dizem por aí que é só interesse, pois paguei por esse conforto. Mas se eu posso pagar, qual é o problema? Sou dessas.

Agora eu consigo esperar sentada pela minha felicidade. E sei exatamente onde encontrar apoio, inclusive para a água e o controle remoto, sempre que eu precisar. Um cuidado compreensivo e silencioso, de quem não vai nunca me criticar. Nem me elogiar. O importante é que agora eu tenho alguém que me escuta, junto com o criado, mudo.

Aliás, era ele quem estava comigo, que enxugou minhas lágrimas, quando você não ligou. O criado? Não, o sofá! Sim, era com ele que eu estava. Sente sua cabeça? Deve ser falta de um encosto como o dele. Digo mais, acho que você deveria logo dar o fora desse armário. Só pode. Pelo menos por aqui, você já está par a par com o sofá antigo, de pé, no cantinho, pronto pro devido descarte. Meu coração está de mudança, baby.

Um brinde ao meu mais novo amor, que impermeabilizado, não há de se manchar com o líquido derramado. Nem querer dividir as guloseimas que consumo em seu encosto (apesar de que sempre perco uma por aqui e outra acolá). Vai me receber de braços abertos mesmo nos dias de gripe, ou quando acordo de maquiagem borrada, ou engordo, ou não me depilo. Pois sofá que é sofá gosta é de mulher. Quem precisa de homens com um sofá assim? Enquanto você é passado, aqui que seja eterno, enquanto as molas durarem.

Foto: Projetado por Chevanon – Freepik.com

Recommended Posts

Leave a Comment